#Resenha: "O Palácio de Inverno" de Jonh Boyne

Compartilhe:
Olá pessoal! Quero pedir desculpas a todos vocês pela ausência! Precisei viajar nas férias em caráter urgente e tinha acesso limitado a net. Mas agora as coisas estão voltando ao normal e publicarei novamente! Hoje a minha resenha é de um dos livros que eu mais gostei de ler em 2011. Espero que gostem!



Palácio de Inverno

Autor: Boyne, John
Editora: Companhia das Letras
Número de Paginas : 456


O "Pálácio de Inverno" foi escrito por John Boyne, autor do famoso "O menino do Pijama Listrado". Essa referência e o fato de tratar da história da família real russa Romanov, brutalmente assassinada pelos bolcheviques em 1918, aguçaram meu interesse. Essa tragédia sempre foi envolvida em mistério principalmente porque, quando foi realizada a exumação dos corpos, faltavam dois Romanovs, que muitos acreditavam ser os filhos do Czar: Alexei (herdeiro do trono) e Anastácia. Durante muito tempo questionou-se o que poderia ter acontecido com eles e o que teria acontecido naquela noite. Em O Palácio de Inverno Boyne, a partir do ponto de vista de um empregado do Czar, narra os fatos daquele tempo e o que teria acontecido.


O personagem principal, Gerogui Jachmenev, é um senhor russo de mais ou menos 80 anos, que vive na Inglaterra e relembra sua vida após descobrir que sua esposa, Zoia, está prestes a morrer vítima de um câncer incurável. Suas memórias perpassam por grandes episódios históricos que marcaram o século XX.


"Meus pais não foram felizes no casamento.
Passaram-se anos, décadas, desde a última vez que aturei a companhia deles, mas ambos me voltam à lembrança quase todos os dias, por alguns instantes, não mais do isso. Um sussurro de memória, tão leve como o hálito de Zoia em meu pescoço quando dorme de noite a meu lado. (...)"



Ele nos narra parte da sua infância em uma aldeia pobre no interior da Rússia de 1914, ficamos conhecendo um pouco sobre sua família, seus amigos e como sua vida muda completamente após, sem querer, salvar o grão-duque Nicolau Nicolaievitch da morte. Georgui então é levado para São Petersburgo onde passa a trabalhar como segurança oficial de Alexei Romanov, o filho mais novo do czar Nicolau II e herdeiro do trono russo.


"- Houve uma tentativa de assassinato - continuou Nicolau Nicolaievitch, olhando reto para mim e ignorando meu pai. - Um jovem radical. Ele apontou a pistola para minha cabeça. Juro que vi a bala se preparando para sair da câmara e se cravar em meu crânio, mas você se atirou na frente, garoto corajoso que é, e tomou o tiro no ombro. - Ele hesitou antes de retomar. - Você salvou a minha vida, jovem Geórgui Danielovitch."

Morando com a Família Real, ele cresce, amadurece, conhece o amor, toma decisões que sem sempre são as mais acertadas e se mantém sempre fiel a suas tarefas e a família que o acolheu.

Boyne nos leva a transitar pelo passado e pelo presente. Conforme Geórgui mergulha em suas memórias vamos conhecendo não só sua história, mas também a intimidade da Família Real Russa: a relação do czar com os filhos Olga, Tatiana, Maria, Anástacia, com o Príncipe Herdeiro Alexei e com a esposa Alexandra.

No presente, o Geórgui idoso e sério, relata a descoberta da doença de sua esposa, a perda da filha, o nascimento de seu neto e os problemas em ser um estrangeiro durante as guerras. É durante essas passagens que somos envolvidos no mistério da trama. Entre passado e presente percebemos que há um grande contraste entre o jovem e o velho Geórgui, que vai se tornando cada vez mais forte conforme seguimos com a leitura.


"Uma coisa curiosa é que aceitar a notícia da doença de Zoia foi mais difícil para mim do que para ela. Que Deus me perdoe, mas, quando chegaram os resultados, ela pareceu tão aliviada, quase feliz, mostrando-os a mim em consideração por meus sentimentos, mas sem demonstrar nenhum temor ou desespero com seu estado. Não chorou, mas eu sim. (...)"


O romance tem uma trajetória muito interessante que prende a atenção do leitor e desperta a sua curiosidade, a sequencia cronológica é constantemente interrompida, criando suspense e emoção. Por exemplo, Boyne em um momento descreve uma história transcorrida em 1916, passando em seguida para 1945, surpreendendo o leitor, o passado e presente se alternam durante a narrativa, indo da Inglaterra para a Rússia e vice-versa.


Apesar de, inicialmente, acreditarmos que o livro trata de relações de poder e guerras, conforme nos adentramos na leitura percebemos que na verdade trata-se de uma bela história de amor que sobrevive a diversos problemas, complicações e principalmente, que sobrevive ao tempo.


"- Você me ama?
- Mas claro!
- Nunca vai me deixar?
- Só a morte poderia me afastar de você, minha querida."



O Palácio de Inverno emociona e nos faz querer que a o que aconteceu na história fosse exatamente como o autor descreveu no romance. Recomendo para todos que gostam de leitura de qualidade com uma trama inteligente, personagens interessantes, bem construídos e uma narrativa excelente, ou seja, leitura de qualidade, que te prende e emociona.

E aí? O que acharam?
Não esqueçam de comentar!!!
*Publicado Originalmente no Blog Dear Book





5 Abstraídos comentaram:

  1. Olá, td bem? Seu blog é super perfeito, ainda mais falando de livros tão bons. Estou lhe seguindo o gostaria de ter a honra de ter vc como seguidora do meu tbm: http://umbestsellerchamardemeu.blogspot.com/ . Obrigada e sucesso! Beeeijos!

  1. Não conhecia este título, mas a primeira vista, realmente parece um relação de poder ou algo parecido, mas depois de saber que é uma história de amor, fiquei bastante curiosa em ler o livro. Parece, pelos quotes, ser algo bem prazeroso de ler. A resenha ficou maravilhosa, reveladora nas partes certas e objetiva.

    Um beijão,
    Pronome Interrogativo.
    http://www.pronomeinterrogativo.com

  1. Pri :) disse...:

    ja tinha ouvido falar desse livor, agora fiquei com vontade de ler, adorei a resenha bjnhs Pri

    PRI E OS LIVROS

  1. Olá!! Li "O Menino do Pijama Listrado" e a narrativa me conquistou rapidamente, tanto pelo fato de ser sobre a Segunda Guerra Mundial quanto pela escrita. Não li este livro ainda, mas é a segunda resenha que leio sobre ele e só está aumentando a vontade de ler.

    Beijos :D

    Paula

    http://tribooks.blogspot.com

    @Tri_Books

  1. Que bom que vocês gostaram! É um livro excelente! Obrigada pelos comentários!

Postar um comentário

Seu comentario é importante... Então vamos, mãos a obra!!!